A Educação Financeira é a chave para sua empresa.

Atualizado: 9 de fev.


A Pandemia do Corona Vírus testou a prontidão das empresas para gerenciar crises e mudou para sempre a forma como trabalhamos, embora poucas empresas ao redor do mundo estivessem totalmente preparadas para enfrentar esse evento, o nível de prontidão diferiu significativamente entre os negócios e setores, com as empresas com maior foco em educação financeira foram mais ágeis e capazes de responder com maior velocidade e resiliência.


A Falta de educação financeira nas empresas fez com que muitas se endividassem, sem efetuar nenhuma análise de seu fluxo de caixa, avaliando apenas as parcelas, e em situação de crises como a atual, devemos ter o máximo de controle da empresa. É fundamental contar com conhecimentos básicos para a tomada de decisões financeiras corretas, como endividamento, perda de clientes, baixa margem de lucro, falta de fluxo de caixa e capital de giro, precificação, despesas pessoais e da empresa altas.


A pandemia fez com que muitas empresas se enfrentam hoje em situações complicadas e complexas e tendo que se adaptar a uma circunstância nova e adversa, que nem sempre é fácil. Aqui é onde entra o jogo da educação financeira: quanto maior é o conhecimento dela, melhor você poderá enfrentar os diferentes obstáculos da economia.


A crise levou muitas empresas a solicitar créditos, principalmente os fornecidos pelo governo e agora enfrentam a falta de condições de pagar os mesmos, assim como os impostos e outras dívidas contraídas. Porque é importante contar com conceitos mínimos de educação financeira? A maioria das micros, pequenas e médias empresas não tem controle de seus gastos e da sua operação do dia a dia, e muito só sabem vender, vender, e esquecem que a empresa é um todo.


A empresa deve saber administrar o dinheiro de forma eficaz frente aos gastos, são aspectos chaves para chegarem sem dificuldades no fim do mês.

A educação financeira ajuda a clarear as tomadas de decisões mais adequadas, principalmente quando reduz as vendas e entradas de dinheiro.


Segue algumas recomendações para iniciar os seus controles:

  • levantar os gastos mensais e verificar o que pode ser cortado,

  • Verificar se as receitas são sadias, e qual cliente tem risco de inadimplência

  • Revisar todos os processos operacionais e administrativo, visando reduzir as gorduras, o retrabalho

  • Usar os bancos de forma responsável e coerente

  • Repensar o negócio com a ferramenta do Canvas e desenvolver estratégias

  • Desenvolver um fluxo de caixa de acordo com as despesas e receitas

  • Melhorar a margem dos produtos

  • Precificar melhor seus produtos

  • Reequilibrar as dívidas e o ponto de equilibrio.


Contribuição:

Anderson Thuner, contabilista, economista, MBA da USP (Gestão de Varejo) e Mestrado pela UFRRJ (Estratégia em negócios)

www.gestormais.com.br